• facebook-square

© Manu Maltez. All rights reserved.

Site by gatoazul

Cambaco

curta metragem de animação

 

 

Em Moçambique na Africa, existe uma palavra para nomear o elefante quando velho e solitário, apartado da manada: Cambaco.
Nesse curta metragem musical de animação, onde um homem-elefante faz sua última caminhada por cenários desolados, de uma natureza transfigurada, Cambaco adquire um caráter filosófico, é um estado de espírito . Direção e arte de Manu Maltez, animação e produção de Alexandre Gam. Música de Vicente Barreto e Manu Maltez.

 

In Mozambique, there is one word to name the elephant when old, alone, and separated from the herd: Cambaco.
In this short, musical animation film where a man-elephant makes his last walk through desolate scenery, a transfigured nature, Cambaco acquires a philosophical character, it becomes a state of mind. Art and direction by Manu Maltez, animation and production by Alexandre Gam. Music by Vicente Barreto and Manu Maltez.

Festivais:

Lançado em 2016, o filme teve sua estréia internacional no Skepto International Film Festival na Itália.

 

Outros festivais em que foi exibido

Godollo Film Fest (Hungria)

Encounters Short Film and Animation Festival 2016 - Bristol UK

Cineplay Film Awards - New York - EUA

 

 

 

Sobre o processo de Cambaco

 

Até pouco tempo atrás eu não sabia que existia uma palavra africana que designa o elefante quando mais velho, que se aparta da manada pra viver e morrer só. Uma palavra que é praticamente um estado de espírito. Não foi à tôa que essa palavra me veio em mente quando Vicente me mostrou uma de suas músicas com a qual fui presenteado pra letrar.

 

Cambaco é o nome do novo disco de Vicente Barreto​.

Vicente é um compositor enorme. Tem alma de elefante. Elefante vivido, de memória gigantesca. De uma serenidade que conquista a gente desde o primeiro momento. De um caminhar muito próprio, inconfundível. Passos de quem inventa sua própria trilha. Por isso fazer letras para suas músicas é sempre um percurso sinuoso. Tem sempre um certo trupicar. Um revirar de pedras. Pra revelar palavras que de certa forma, já estavam lá. Cambaco tem feito parte do meu dia a dia já tem mais de um ano.  Além de parcerias de letra e música,  e os shows que fizemos juntos (juntamente com seu filho, Rafa Barreto a quem o disco é dedicado com justiça) vieram as imagens. Desenhos, a capa do disco, e (um curta metragem de animação. Foram mais de mil (desenhos). Um novo e insuspeitado momento de vida. Uma estranha calma que tem estado presente em mim desde que comecei essa fase cambaca. Nunca achei que fosse capaz. Vicente tem muito a ver com isso.

 

Acesse por aqui para baixar o disco Cambaco de graça.

1/2

Cambaco

Música de Vicente Barreto e Manu Maltez

 

Cambaco é quase um cazumbi

velho elefante do cambuci

trombone mudo em curva de rio

só espera a morte entrar no cio

 

não se deslumbra ao que aí está

cambaco é um certo cambalear

antigamente antes do mundo surtar

 

cambaco alembra o Wiriyamu

velho guindaste de tromba azul

vulcão extinto não queima mais

mas se fumaça é um passo atrás

 

desamparinho maior não há

cambaco hoje nåo vai voltar

o passado as vezes sai do lugar

 

onde era manada e rouquidão

hoje mercado negro de marfim

onde havia batuta e balafon

hoje é metralhadora a gargalhar

 

já faz tempo que o tempo se perdeu

só cambaco se lembra de achar

 

onde era sambada e balauê

hoje é a grana botando pra fudê

onde tinha bambara e pigmeu

hoje essa multidão solta no breu

 

já deu hora de tudo se acabar

só cambaco não esquece de afundar

 

onde era savana e kalundu

hoje é nego roendo o couro cru

onde havia calunga e bonbolon

hoje a mesa tá posta pra urubu

 

tem mil anos que a vaca se embrejou

só cambaco ainda relembrou